África 

orientações das aulas.docx (2688618)

campos de refugiados.pptx (3746654)

 

Localização:

O Continente Africano possui um pouco mais de 30 milhões de Km².

A África se situa numa posição que é a mais quente da Terra, pois 4/5 do seu território está entre os trópicos.

O litoral desse continente se estende por 27.638 quilômetros.

Sendo essa extensão distribuída da seguinte forma pelos oceanos e mares:

Oceano Atlântico, 10.840 km;

Oceano Índico, 8.584 km;

Mar Mediterrâneo, 5.254 km;

Mar Vermelho, 2.960 km.

O litoral africano, devido a sua forma retilínea e pouco articulada, possui poucos portos naturais. Condição que dificultou o estabelecimento de agrupamentos geopolíticos em seu litoral. Restringindo-se apenas em estabelecimentos costeiros e proporcionando certa facilidade na ocupação das ilhas do litoral africano, pelo fato de serem mais fáceis para ocupação e defesa.

Os mapas a seguir mostram algumas localidades:

Aspectos fisiográficos:

Quanto ao relevo, há predominância dos planaltos com altitude média de 660 metros. O relevo, de certa forma, dificulta em partes a penetração das pessoas em determinadas áreas, também é responsável pelo direcionamento da hidrografia.

A África possui o maior deserto do mundo, o Saara, que ocupa vastas regiões do norte do continente. E no sudoeste encontra-se o Kalahari com aproximadamente 120 Km².

Mesmo com várias extensões desérticas a África possui rios importantes e de grande extensão, dentre eles podemos citar o rio Nilo, o rio Congo e o rio Níger.

A vegetação é composta principalmente por florestas tropicais e equatoriais no centro-oeste, estepes e savanas que margeiam os desertos e as florestas e as vegetações desérticas que coincidem aproximadamente com os desertos.

O deserto do Saara, maior deserto do mundo é uma região de clima árido, onde a evaporação excede a precipitação média anual, resultando em carência de água e fraco desenvolvimento da biosfera, ocupa uma grande área no norte do Continente Africano.   Estende-se do oceano Atlântico ao mar Vermelho, pode ser considerado um divisor não só climático, mas cultural na África.

Os mapas a seguir mostram as áreas dos desertos:

 

 Saara

O maior deserto quente do mundo, (perde em extensão para Antártida) divide o continente africano em duaspartes, a África do Norte e Sub-Saariana. A fronteira saariana ao sul é marcada por uma faixa semi-árida de savana, o Sahel. Segundo pesquisas,o deserto cresce pelo menos um centimentro por ano. As prováveis causas desse crescimento são as mudanças climáticas em vigor no planeta que acentuam a erosão e a aridez na região.

 

Kalahari

Kalahari é um deserto localizado no Sul da África, com cerca de 900.000 km² distribuídos por Botswana, Namíbia e África do Sul. Namib é também um deserto; um grande deserto no sudoeste da África. (No sul de Angola e na Namíbia)

 

 

Sahel

O termo Sahel significa "costa do deserto” ou “margem". É uma região que margeia a parte sul do deserto do Saara, uma transição entre o clima desértico e o clima tropical (os índices pluviométricos dessa região dão a ela características de região semiárida), é uma região muito fragilizada socioeconomicamente. Os países que compõem essa região são: Mauritânia, Senegal, Mali, Burkina Faso, Níger e Chade. Outros países também possuem terras na região do Sahel, são: Nigéria, Rep. Democrática do Congo, Camarões e Sudão.   

Nos aspectos naturais o deserto do Saara domina a maior parte da África do Norte, o que de certa forma contribui para dificultar a agricultara na região. Sendo esta praticada em alguns oásis, no vale do rio Nilo e no MAGREB. O subsolo possui importantes recursos energéticos, com destaque para o petróleo.

MAGREB

Existem várias possibilidades de subdividir o continente africano, uma delas na África do Norte é o MAGREB.

MAGREB significa "onde o Sol se põe", localiza-se na porção oeste do norte do continente, são formadas por Marrocos, Argélia, Tunísia Saara Ocidental e Mauritânia. Podendo se expandir até a Líbia, no chamado grande MAGREB.

A cordilheira do Atlas dá características fisiográficas que diferenciam essa região do restante da África do Norte. Os ventos do Atlântico ao encontrarem a cordilheira provoca uma precipitação regular, tornando o clima mediterrâneo na porção norte. Na faixa litorânea, entre a cordilheira do Atlas, o mar Mediterrâneo e o oceano Atlântico, estão as principais cidades da região e ali se realizam a maioria das práticas agrícolas, com destaque para cultivo das oliveiras e das videiras. A região foi ocupada por vários povos desde a antiguidade; cartagineses, romanos, vândalos, berberes e europeus modernos estão entre eles. O domínio dos povos árabes, que se miscigenaram com os berberes, dão traços culturais islâmicos para a região.

Atualmente o MAGREB possui um forte comércio petrolífero com a Europa e principalmente com os EUA, por isso, existe entre eles as relações diplomáticas (termo usado na política dos países, onde todos os governos têm seus diplomatas, cuja função é dialogar com os outros países para que acordos sejam levados a bom termo e para que as situações mais críticas sejam resolvidas pacificamente).

Os mapas a seguir mostram as áreas que compreendem o sahel e o MAGREB:

 

Sahel

Região da África situada entre o deserto do Sahara e as terras mais férteis a sul. O termo foi cunhado para designar uma região fitogeográfica, dominada por vegetação de savana, que recebe uma precipitação entre 150 e 500 mm por ano. Pode, portanto pensar-se que a agricultura no Sahel está condenada ao fracasso mas, ao contrário, ela é protegida por uma “cintura verde” constituída por uma flora altamente diversificada, que – por não ter sido usada pelo homem - a protege dos ventos do Sahara.

 

 

MAGREB

Identificado geralmente com a parte ocidental da África do Norte, engloba a região deste continente a norte do deserto do Saara. Na época do império romano, era conhecido como África menor. Composto por Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia, Saara Ocidental, Mauritânia

 

 

Aspectos populacionais:

A região do Saara é composta predominantemente por povos de pele clara de origem árabes onde predomina a religião islâmica. Essa parte é conhecida como África Branca, ou África Saariana.

Ao sul do deserto do Saara predominam as etnias negras. São várias etnias formando uma das regiões com a maior diversidade cultural do mundo, que professam várias religiões como cristianismo, islamismo e o animismo. Essa parte é conhecida como África Negra, ou África Subsaariana.

 
Regiões da África

Essa forma de regionalizar o Continente Africano leva em consideração os aspectos étnicos e culturais:

·         África Branca (ou Setentrional)

A África Branca, que também pode ser chamada de Setentrional (norte) ou Saariana possui povos de origem de origem árabe.

O Islamismo predomina nessa região que representa em torno de 30% da população africana.

O padrão de vida é considerado baixo, mas superiores aos do restante da África. A economia se baseia principalmente na exploração mineral (petróleo), no turismo, na agricultura comercial irrigada e na agricultura mediterrânea.

Os países da África Branca são os seguintes: Mauritânia, Marrocos, Saara Ocidental, Argélia, Líbia, Tunísia, Egito, Sudão e Etiópia.

 

·         África Negra (Subsaariana).

É a África dos povos negroides que abrange uma grande variedade de etnias formando uma heterogeneidade das mais complexas. Uma região considerada a menos desenvolvida no mundo, os indicadores sociais são os piores África Negra.

No quadro natural prevalece áreas de florestas tropicais e savanas, com uma região desértica no sudoeste - o deserto do Kalahari.

 A maioria dos países é agroexportador e o comércio de seus produtos obedece a uma lógica capitalista que permanece no continente desde os tempos coloniais (agricultura de plantation).

A região possui muita riqueza mineral e energética, mas de modo geral, ainda não está conseguindo explorá-los com resultados satisfatórios. A exceção pode ser feita a Angola e a Nigéria, que vêm apresentando significativo crescimento econômico, porém sem muito reflexo na parte social.

A colonização dessa parte do continente contribui em grande parte para a situação de subdesenvolvimento atual, foram criadas fronteiras artificiais e alguns grupos que apoiaram o colonizador ainda estão no poder e foram usados pelas potências para manter o domínio sob os recursos naturais da região.

Nas últimas décadas a presença chinesa vem se ampliando na África Negra, o Brasil também defende interesses nessa última fronteira natural do mundo, em especial na Nigéria, em Angola e Moçambique.

A África do Sul é o grande destaque da região. É o país mais industrializado, não só da região, mas de todo continente. Possui uma considerável industrialização e é rica em recursos naturais.

 

Apartheid

Significa separação, em africâner.

Foi um regime de segregação racial praticado por política de Estado na África do Sul entre 1948 e 1994.  Era negado à população negra o acesso a espaços ocupados por pessoas brancas.  O sistema se baseava na superioridade racial branca, mas na realidade servia de estratégia para explorar terras cultiváveis e consolidar a dominação branca sobre a população negra.

Os mapa a seguir mostra: A divisão histórico cultural. 

 

Verde = África Branca ou Saariana

Cinza =  África Negra  ou Subsaariana

 

 

 

 

Aspectos econômicos:

O continente sofreu muito como o sistema de colonização do século XVI que se intensificou no final do século XIX e início do século XX e, de certa forma, foi submetido a uma lógica que perdura até hoje. Visto que muitos países ainda se fazem presentes no continente em busca dos recursos naturais. Em especial países europeus, mas nas últimas décadas a presença chinesa e brasileira vem aumentando consideravelmente no continente.

O setor industrial, não apresenta diversificação nem dinamismo suficientes que sustentem o desenvolvimento econômico. Possíveis exceções ocorrem com a África do Sul e o Egito.  A Angola e Nigéria estão crescendo em ritmo considerável.

O setor agropecuário está submetido quase que totalmente à logica capitalista atual. O continente produz gêneros que interessam aos países desenvolvidos que são os grandes consumidores e muitas vezes não possuem uma agropecuária para atender de forma satisfatória o mercado interno.

 

O continente na globalização:

A África mantém um intenso fluxo comercial com a Europa e os Estados Unidos, de certa forma, com alguns países asiáticos.

 A China tem presença marcante no continente, investindo alto em recurso naturais, em especial, petróleo.

 O Brasil, ultimamente, vem se aproximando da África com intenção semelhante à da China. Grandes empresas brasileiras como a Petrobras, a Vale do Rio Doce, entre outras, estão presentes em países como Angola, Argélia, Nigéria, Tanzânia Mauritânia e África do Sul.